Por que o Hilab é diferente dos testes rápidos?

Os testes rápidos economizam tempo e mobilidade. Confira quais são as diferenças entre o Hilab e outros testes remotos.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Indispensáveis para auxiliar o diagnóstico de doenças em consultas médicas, os exames laboratoriais se tornaram o principal meio para avaliação da saúde das pessoas, devido à precisão de seus resultados. 

Até pouco tempo atrás, no Brasil, as pessoas precisavam ir até um laboratório convencional para realizar esse tipo de exame. O resultado demorava dias para ficar pronto. No entanto hoje, com os Testes Laboratoriais Remotos, já é possível fazer uma exame de sangue e receber um resultado em poucos minutos, o que pode fazer a diferença no diagnóstico médico. Em vários países do mundo, o impacto deste tipo de teste já é reconhecido. Somente nos Estados Unidos, mais de 10.000 farmácias oferecem testes rápidos para a população. 

Saiba como isso é possível e entenda os motivos pelos quais o Hilab é diferente dos demais testes rápidos. 

O que é um Teste Laboratorial Remoto, um teste rápido e um teste realizado em laboratório convencional? 


Um Teste Laboratorial Remoto (TLR) é um tipo de teste rápido realizado fora de um laboratório central, diferentemente do que é feito em um laboratório convencional, com a dependência física de materiais e equipamentos sem mobilidade.

O que caracteriza um teste rápido ser um TLR é o seu método e assistência de profissionais de saúde no processo e, como a própria nomenclatura indica, há a participação de um profissional na análise laboratorial remota. Com a emissão do laudo, o TLR oferece um compromisso com o paciente em entregar um resultado seguro e confiável.

Por exemplo, os testes de urina sem microscopia entram na categoria de testes rápidos, mas não possuem a assistência e análise de um profissional de saúde, logo, não são considerados TLR’s.

O TLR utiliza os mesmos métodos de análise dos laboratórios convencionais, no entanto oferece também  um resultado rápido, agilizando os  tratamentos de saúde.

Quais são as vantagens dos testes rápidos?


Como vantagem, a agilidade de um exame rápido pode ajudar muitos profissionais de saúde e pacientes na tomada de decisões. Isso porque a amostra não irá percorrer um longo trajeto para ser analisada, como ocorre em muitos postos de coleta. 

Os equipamentos utilizados para fazer um TLR   são em sua maior parte pequenos, usuais e portáteis, uma vez que foram construídos para serem utilizados fora de um laboratório convencional. Como a amostra é minimamente deslocada para a cápsula de reação e em seguida para o equipamento Hilab, os erros relacionados ao transporte ocorrem em menor proporção.

Os erros de análise e leitura da amostra também são praticamente eliminados, visto o resultado sai logo após o processamento e análise dos dados, beneficiando o paciente que pode apresentar o resultado do exame diretamente para o seu médico. 

Geralmente, o TLR exige menor volume de amostra em relação ao utilizado nos laboratórios convencionais. Em alguns casos, a tecnologia consiste em uma simples tira impregnada com um determinado reagente à qual se acrescenta uma pequena gota de sangue.

Por que o Hilab é diferente?

1. Hilab tem laudo

Após a leitura da amostra de sangue feita no equipamento, os dados são enviados para os biomédicos especialistas do Laboratório Central Hilab, que analisam o resultado e realizam a emissão do laudo digital. 

O laudo é um fator essencial para a segurança do paciente, pois assim asseguramos em forma de documento a confiança do resultado do exame.

2. Os profissionais de saúde recebem treinamento constante

A atenção aos profissionais de saúde que realizam  o exame é fundamental para a minimizar erros referentes ao procedimento, por isso a capacitação dos profissionais para a operação do Hilab é feita com constantes programas de treinamento e acompanhamento de desempenho.

3. Controle de qualidade e segurança

O controle do Hilab é realizado durante todo o processo do  exame, pois controlamos com segurança cada etapa, desde a fabricação do equipamento e dos kits de diagnóstico, até a análise da amostra, feita no Laboratório Central do Hilab.

Nossos  kits de diagnóstico, por exemplo, são constantemente verificados pelo Laboratório Central, por meio do controle de lotes e realização de pesquisas para melhoria dos processos.

Após o resultado do exame, todos os dados extraídos das análises das amostras são seguramente criptografados por protocolos de segurança, protegendo os resultados de quaisquer intervenções no sistema.

4. Equipamento minimiza erros

Com a leitura das reações feita pelo equipamento Hilab, evitamos erros comuns de descuido no manuseio do operador, pois o equipamento faz a leitura correta da amostra no tempo adequado, passando as informações para os profissionais de saúde do Laboratório Central, que analisam o resultado e realizam o laudo do exame. 

5. Controle do processo 

A maior diferença do serviço Hilab em meio aos outros testes laboratoriais remotos é o controle de todo o processo. Uma vez que a amostra é enviada para o laboratório central Hilab via internet podemos avaliar a execução do exame solicitando, na hora, uma nova coleta caso necessário. Assim, garantimos para o paciente um exame de qualidade e um laudo confiável. .

Quais são as metodologias utilizadas no Hilab?

O Hilab conta com as metodologias de imunocromatografia e colorimetria. A  metodologia utilizada varia de acordo com o exame, assim como o resultado que pode ser qualitativo ou quantitativo. 

A colorimetria é um método de análise quantitativa que se baseia na comparação da cor produzida por uma reação química, utilizando um sistema de cores XYZ através do colorímetro para determinar as similaridades e a intensidades das cores. Por meio da intensidade da cor, é possível analisar a substância estudada. 

Para os exames Hilab que utilizam o método colorimetria, como o exame de Perfil Lipídico, as tiras reagentes dos testes possuem enzimas que reagem com o sangue, determinado por meio de cores específicas. O resultado da cor é lido e digitalizado por meio do equipamento Hilab, revelando a concentração dos analitos mensurados. Esse resultado é analisado pelos biomédicos do laboratório.

Já a imunocromatografia é um método que identifica o antígeno e o anticorpo, por meio de uma membrana de nitrocelulose com uma fase sólida onde estão impregnados antígenos ou anticorpos. Com esse método, o Hilab pode fazer uma análise qualitativa e quantitativa por analisar e digitalizar a reação.

Nesse método, a amostra de sangue percorre a tira reagente por capilaridade, se ligando a partículas de ouro coloidal. Caso a substância analisada esteja presente, as partículas sinalizam a área teste através da reação antígeno e anticorpo. Um exemplo de exame Hilab que utiliza imunocromatografia é o exame de dengue.

Já conhece os testes laboratoriais Hilab? Clique aqui e fique por dentro do processo

Control Lab. Point of care: A tecnologia laboratorial em questão. Disponível em: <https://controllab.com/qualifique/pop_ed21_point_of_care.htm> Acesso em: 17/04/2020

Instituto Albert Einstein. Testes laboratoriais Point of Care. Disponível em:<http://apps.einstein.br/revista/arquivos/PDF/990-EC%20v6n4%20184-186.pdf>Acesso em: 17/04/2020

Diretrizes para gestão e garantia da qualidade de testes laboratoriais remotos. Disponível em:<http://www.sbpc.org.br/upload/conteudo/LivroTLR_2015.pdf> Acesso em: 15/04/2020

Leia mais:

Gostou do artigo? Avalie

Média da classificação / 5. Número de votos:

Acompanhe novidades sobre saúde e bem-estar: assine a nossa newsletter.

Para entrar em contato com a central de atendimento é necessário aceitar a Politica de Cookies.