Terapia online: como aproveitar da melhor forma

Já é possível encontrar tempo e praticidade para cuidar da saúde mental. Veja mais benefícios e possibilidades da terapia online.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Para garantir condições seguras para pacientes cuidarem da saúde mental em meio à pandemia de COVID-19 a maioria dos psicólogos e psicoterapeutas hoje oferecem seus serviços online. 

Mas realmente é possível tratamento eficaz por meio de uma chamada de vídeo? A terapia online muda a forma como o atendimento psicológico acontece? E quando é realmente necessário se consultar pessoalmente?

Saiba mais sobre a terapia online e seus benefícios lendo o texto a seguir.

Como a terapia online funciona?


Um importante passo para o desenvolvimento pessoal e para a saúde mental é a terapia, que agora, por causa da pandemia da COVID-19, pode ser feita de forma online. 

Além de ser uma solução para prevenir a transmissão do coronavírus, outro destaque da teleconsulta é a facilidade de encaixe na agenda do paciente, permitindo horários alternativos. Sem contar a facilidade: com apenas alguns cliques você consegue entrar em contato com um psicólogo.

A terapia online é realizada com seriedade e técnica equivalente ao atendimento presencial, e sua eficácia já foi constatada mesmo em pacientes com diagnósticos delicados. Abrangendo diferentes tipos de abordagem, cada pessoa poderá escolher o profissional e linha terapêutica que mais se adequa ao seu caso, o que impacta nos resultados da terapia. 

Ajustes do atendimento psicológico para o meio online 


Mesmo com a seriedade e cuidado na adaptação da terapia online, algumas dificuldades podem aparecer. A qualidade de imagem de alguns equipamentos pode prejudicar a percepção do terapeuta em cima das expressões do paciente. Por isso, o terapeuta precisa estar duas vezes mais atento às palavras usadas pelo paciente e também às suas entonações.

Além de problemas técnicos como a qualidade do som e imagem que podem dificultar a análise e falhas no sinal da internet que podem atrasar as consultas, o paciente ainda pode ser atrapalhado em seu próprio ambiente. Por isso é importante o preparo de um ambiente seguro e livre de distrações, construir um ambiente apropriado para que o paciente possa se abrir para a análise.

Escolhendo um bom terapeuta online


A escolha do terapeuta requer atenção por parte do paciente, já que qualquer pessoa pode se passar como psicólogo e oferecer um serviço falso na internet. Então, como você pode ter certeza de que está escolhendo um bom terapeuta online? 

Primeiro, confira o site do terapeuta: é bem apresentado? Ele menciona o tipo de terapia oferecida e as suas qualificações? No Brasil temos o Cadastro E-Psi, uma habilitação organizada pelo Conselho Federal de Psicologia para que os psicólogos possam oferecer terapia online. Você pode verificar os psicólogos cadastrados clicando aqui.

Você também pode preferir tirar suas dúvidas com o profissional em uma ligação ou mensagem antes de decidir se consultar. 

Em quais outras ocasiões a terapia online é útil?


O teleatendimento é útil em muitas situações em que a presença física não é possível. Esse é o caso quando você se muda e deseja continuar consultando o psicólogo que já te atendia, quando há muitas viagens de negócios, quando está em férias ou quando sua vida está muito corrida. Pode ser também que você more no exterior e sinta a necessidade de ser atendido por alguém que compartilhe a sua língua materna.

Mas não é só isso. O mesmo vale para quem vive a rotina de cuidar dos filhos: graças à teleconsulta, as sessões de terapia podem ser feitas em algum momento livre na rotina, como no meio das sonecas dos pequenos.

Essa opção também é adequada para pessoas com problemas em ir até o consultório, seja por causa de deficiências físicas ou por transtornos do pânico com agorafobia. Esse também pode ser o caso de quem tem dificuldades em enfrentar o olhar e contato de um analista, seja por traumas sexuais ou outros transtornos.

Por que continuar com teleatendimentos após a pandemia?


A telemedicina e o acompanhamento de tratamentos remoto mesmo sem o toque físico podem auxiliar na adesão do paciente ao acompanhamento terapêutico pela economia de tempo, praticidade, por evitar deslocamento e possibilitar autonomia na escolha de horários flexíveis.

Facilidade, rapidez e economia de tempo são o trio vencedor desta nova forma de consulta. Outro fator é a economia financeira que os teleatendimentos proporcionam, já que muitos custos são minimizados.

Quando é melhor se consultar pessoalmente?


Embora a maioria dos problemas seja resolvida online, ainda há situações em que se consultar ‘cara a cara’ ainda é melhor. São casos particulares de transtornos depressivos e de ansiedade graves, ou fragilidades psicológicas intensas, como tendências suicidas. Esses casos pedem uma forma mais assertiva de cuidar do bem estar emocional desses pacientes, e por isso o contato físico pode ser mais efetivo.

Organização Mundial da Saúde. Brasil e Argentina preparam projeto de cooperação técnica entre países para desenvolvimento de arquitetura e monitoramento econômico de redes de teleconsulta. Disponível em: <https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=3067:brasil-e-argentina-preparam-projeto-de-cooperacao-tecnica-entre-paises-para-desenvolvimento-de-arquitetura-e-monitoramento-economico-de-redes-de-teleconsulta&Itemid=842> Acesso em: 01/02/2021.

American Psychological Association. A growing wave of online therapy. Disponível em: <https://www.apa.org/monitor/2017/02/online-therapy> Acesso em: 01/02/2021.

Gerhard Andersson e Pim Cuijpers. Internet-based and other computerized psychological treatments for adult depression: a meta-analysis. Disponível em: <https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/20183695/> Acesso em: 01/02/2021.

Leia mais:

Gostou do artigo? Avalie

Média da classificação / 5. Número de votos:

Acompanhe novidades sobre saúde e bem-estar: assine a nossa newsletter.

Para entrar em contato com a central de atendimento é necessário aceitar a Politica de Cookies.